out 312016
 

sindrome-de-down-4

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com o último censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) Cerca de 45 milhões de pessoas possuem alguma deficiência física ou mental no Brasil, dessas estima-se que 300 mil tenham Síndrome de Down, uma prevalência de 1 a cada 600 nascimentos.

E como sempre uma das melhores alternativas de tratamento é a pratica de atividade física, para auxiliar na inclusão social e melhorar o equilíbrio emocional e auxiliar nas deficiências motoras. E como uma alternativa de atividade, o Método Pilates pode ser utilizado como uma alternativa positiva que trabalha o desenvolvimento global na Síndrome de Down.

Nesse texto vamos abordar todos os aspectos relevantes que você como instrutor deve se atentar para um aluno com Síndrome de Down e dicas para montar uma aula com todos os benefícios que o método pode proporcionar para alunos nessa condição.

O Pilates trabalha com exercícios que podem ser adaptados para o desenvolvimento global. Os principais benefícios são:

Trabalho respiratório e fortalecimento do transverso abdominal, pois é de fundamental importância relevar que a presença da anormalidade cromossômica em si, pode aumentar o risco de certas complicações, como a predisposição a comprometimentos respiratórios.

Trabalho de equilíbrio estático e dinâmico, que normalmente é afetado devido a hipotonia muscular e atrasos nos marcos motores. Além disso, o atraso na maturação cerebelar, o tamanho pequeno do cerebelo e tronco cerebral e também o retardo de maturação das vias corticais a partir do córtex motor ocasionam um déficit de equilíbrio importante, podendo persistir até a adolescência das pessoas com Síndrome de Down;

Trabalho de propriocepção e controle postural, pois eles podem apresentar dificuldade para captar as informações sensoriais que determinam a posição do corpo no espaço e a velocidade em que o corpo está se movendo.

Treino de marcha, por meio desse treinamento, a pessoa com síndrome de Down adquire melhor coordenação motora e ritmo para acelerar a sua marcha.

Melhorar a interação com pessoas e ambiente. Na Síndrome de Down pode haver diminuição da interação do indivíduo com o meio ambiente e dificuldades de adaptação social, limitando oportunidades derivadas de experiências sensoriais como visuais, vestibulares, táteis e proprioceptivas.

O Pilates no caso, contribui muito, pois promove liberdade dos movimentos e aumenta a sociabilização, uma vez que representa ser um ambiente agradável e rico em estímulos, onde são realizados exercícios lúdicos que envolvem objetivos terapêuticos, de forma individual ou em grupo.

Em minha opinião é de primordial importância que os profissionais envolvidos com os portadores de Síndrome de Down tenham total conhecimento sobre a síndrome, com o objetivo de fornecer informações precisas e atualizadas, bem como se aprimorarem constantemente no que tange ao tratamento específico multidisciplinar e suporte emocional.

 

FONTE: http://blogpilates.com.br/

 Posted by at 12:11

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)